Governo anuncia que Enem será adiado em pelo menos um mês
O ministro da Educação, Abraham Weintraub, havia sugerido adiamento do Enem por 30 a 60 dias
Mais cedo, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, havia sugerido o adiamento do Enem por 30 a 60 dias

20 de Maio de 2020 - 19h02
O governo federal anunciou nesta quarta-feira (20) que o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) será adiado em pelo menos 30 dias devido ao impacto da pandemia de Covid-19. A decisão concretiza uma mudança de posição do governo, adotada depois que lideranças do Congresso sinalizaram ao poder Executivo que aprovariam o adiamento.

Segundo nota oficial do Inep, órgão do Ministério da Educação responsável pela aplicação da prova, "as datas serão adiadas de 30 a 60 dias em relação ao que foi previsto nos editais."

O Enem estava originalmente previsto para os dias 1º e 8 de novembro. A versão digital do exame seria aplicada em 22 e 29 de novembro -- mas engloba apenas 100 mil dos mais de 4 milhões de inscritos para a prova até terça (19), segundo números do MEC (Ministério da Educação). As inscrições terminam às 23h59 desta sexta-feira (22).

Mais cedo, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, havia sugerido o adiamento do Enem por 30 a 60 dias.

"Diante dos recentes acontecimentos no Congresso e conversando com líderes do centro, sugiro que o Enem seja adiado de 30 a 60 dias. Peço que escutem os mais de 4 milhões de estudantes já inscritos para a escolha da nova data de aplicação do exame", escreveu Weintraub no Twitter.

Na terça-feira, Weintraub disse no Twitter que iria fazer uma consulta aos inscritos no Enem, por meio do site do Inep, para saber se os estudantes seriam favoráveis ao adiamento. A nota de hoje em que o Inep confirma o adiamento do Enem também diz que os estudantes serão consultados sobre a data do exame em junho, por meio da internet.


expediente|quem somos|fale conosco|política de privacidade





© 2017 News Oeste - Todos os Direitos Reservados ®