Manifestantes cercam e invadem Parlamento de Hong Kong
O governo também divulgou uma nota pedindo para que as pessoas deixassem o Conselho Legislativo
Os protestantes utilizaram guarda-chuvas para impedir que as câmeras gravassem seus rostos e o ato

1 de Julho de 2019 - 18h44
Manifestantes cercaram e invadiram, nesta nesta segunda-feira (1), a sede do Conselho Legislativo de Hong Kong quebrando vidros e portas do prédio para conseguir entrar. A invasão aconteceu logo após a celebração do 22º aniversário da transferência do local para a soberania chinesa.

Depois de derrubar uma cerca de aço e começarem a tentar entrar no prédio do Parlamento, os protestantes utilizaram guarda-chuvas para impedir que as câmeras gravassem seus rostos e o ato. A invasão foi feita com canos de ferro, barras metálicas, tijolos e pedras e os próprios organizadores da manifestação forneciam máscaras para caso a polícia usasse gás lacrimogêneo na tentativa de dispersar a população.

No incio da manifestação, enquanto a chefe do executivo, Carrie Lam, participava da cerimônia, centenas de pessoas já bloqueavam as principais avenidas de Hong Kong. Para amenizar a situação, Lam disse que “ouviria pacientemente” os manifestantes, e confessou que sua gestão tem “muito a melhorar”. O governo também divulgou uma nota pedindo para que as pessoas deixassem o Conselho Legislativo imediatamente.

Onda de protestos

Os atos são resultado do aumento da influência do governo chinês sobre a região, que enfrenta uma onda de manifestações desde que lançou a “lei de extradição”. O texto, que já foi adiado pela chefe do executivo na tentativa de conter os protestos, autoriza a extradição de moradores de Hong Kong à China continental.

*Com informações da Agência EFE



expediente|quem somos|fale conosco|política de privacidade





© 2017 News Oeste - Todos os Direitos Reservados ®