HMB promove conversa sobre alimentação saudável para bebê
O Ministério da Saúde disponibiliza uma cartilha desenvolvida especificamente para a alimentação
O Ministério da Saúde disponibiliza uma cartilha desenvolvida especificamente para a alimentação adequada dos bebês

17 de Janeiro de 2019 - 16h29
Na quinta-feira (dia 10), o Hospital Municipal de Barueri (HMB) organizou um encontro entre mães e nutricionistas para explorar a importância da alimentação nos primeiros meses de vida. A iniciativa da Unidade de Alimentação de Nutrição (UAN), que ocorrerá uma vez por mês, visa orientar as mães sobre como cada fase da alimentação da criança deve ser desenvolvida. Dicas simples de como estimular o bebê para mamar, preparo adequado das primeiras papinhas e introdução de hábitos saudáveis foram alguns temas abordados.

“É sempre válido lembrar que não existe leite fraco. Cada mãe produz o que o seu bebê necessita”, explica a nutricionista Gislene Passos, que ressalta que não há alimentos milagrosos para aumentar a produção do leite, como canjica e cerveja preta, que, inclusive, não é recomendada principalmente por conter álcool.

Diante da dificuldade de amamentação e da própria produção de leite, as nutricionistas reforçaram que é preciso ter paciência e que não existem regras para a maternidade. A relação mãe-filho depende da adaptação e do desenvolvimento de ambos. “O que é comprovado é que a produção de leite é estimulada com ingestão de água. A mãe deve beber, no mínimo, dois litros de água por dia, sendo que o ideal é três ou até mesmo quatro litros, além de alimentos hídricos, como melancia e gelatina”, destaca a nutricionista Ana Paula Messias, que incentivou a possibilidade de doação para o Banco de Leite do HMB, quando houver leite sobressalente.

As mães também foram orientadas sobre a introdução alimentar, realizada após os seis meses, que precisa ser feita de modo lento e gradual, com frutas amassadas e papas salgadas - primeiramente na forma pastosa até chegar à consistência da alimentação original da família. É importante lembrar que as refeições precisam ser preparadas sem temperos industrializados, excesso de sal, pimenta e gordura.

No encerramento da atividade, para exemplificar e estimular a prática, as mães participaram de um lanche da tarde com opções saudáveis, como chá de ervas, suco natural e salada de frutas.

Importância da amamentação

Com base na orientação do Ministério da Saúde, nos seis primeiros meses, é importante praticar a amamentação exclusiva e de livre demanda, que significa ofertar o leite quantas vezes e em quanto tempo o bebê quiser. Neste período não há necessidade de nenhum tipo de complemento, nem mesmo água ou chás, pois o leite materno é um alimento completo. A recomendação é que o leite seja oferecido até os dois anos de idade, mesmo após a inserção de novos alimentos.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), os principais benefícios da amamentação são: proteção contra alergias e infecções, fortalecimento de anticorpos e auxílio no desenvolvimento dos ossos e músculos da face, que contribui para fala, respiração e dentição da criança.

O Ministério da Saúde disponibiliza uma cartilha desenvolvida especificamente para a alimentação adequada dos bebês: Dez passos para uma alimentação saudável de crianças menores de dois anos, que pode ser baixada em: http://189.28.128.100/dab/docs/portaldab/publicacoes/dez_passos_para_familia.pdf.




Deixe seu comentário



expediente|circulação|quem somos|fale conosco|política de privacidade





© 2017 News Oeste - Todos os Direitos Reservados ®