EUA acusam Rússia de violar sanções da ONU contra a Coreia
Governo americano impõem sanções contra banco russo por ligação com representante do principal banco
Os Estados Unidos querem continuar a fazer pressão sobre o regime de Kim Jong-un

3 de Agosto de 2018 - 17h49
A embaixadora dos Estados Unidos na ONU, Nikkei Haley, acusou a Rússia de violar as sanções internacionais impostas à Coreia do Norte ao permitir a entrada no país de novos trabalhadores norte-coreanos.

Em comunicado divulgado nesta sexta-feira (3), Haley disse ter recebido “informações críveis” de que o Kremlin voltou a conceder licenças de trabalho a norte-coreanos, contrariando determinação do Conselho de Segurança da ONU nas sanções aplicadas a Pyongyang.

“Falar é fácil. A Rússia não pode apoiar as sanções no Conselho para depois violá-las com suas ações”, disse a diplomata americana.

Segundo o jornal The Wall Street Journal, a Rússia teria concedido licenças trabalhistas a mais de 10.000 norte-coreanos desde que a proibição entrou em vigor. O Kremlin nega.

A medida do Conselho de Segurança tem como objetivo cortar o financiamento do regime de Kim Jong-un, que arrecadava importantes quantias em impostos sobre os trabalhadores no exterior.

Sanções
Os Estados Unidos também impuseram nesta sexta-feira sanções contra um banco russo que acusam de ter facilitado transações comerciais com uma pessoa envolvida com o programa de armas nucleares da Coreia do Norte.

A medida acontece no momento em que o secretário de Estado americano, Mike Pompeo, deve pressionar países do sudeste asiático durante reuniões em Singapura no sábado (4) para manter as sanções contra Pyongyang.

Os Estados Unidos querem continuar a fazer pressão sobre o regime de Kim Jong-un, apesar das negociações entra as duas nações.

O Departamento do Tesouro dos Estados Unidos disse que o banco russo Agrosoyuz Commercial Bank, de Moscou, havia conduzido “uma transação significativa” para Han Jang Su, representante-chefe em Moscou do Foreign Trade Bank (FTB), principal banco de câmbio da Coreia do Norte.

Han Jang Su é acusado de estar envolvido com o programa de testes nucleares do ditador Kim Jong-un.

“Os Estados Unidos continuarão a garantir o cumprimento das sanções da ONU e dos EUA e a encerrar fluxos ilícitos de receita para a Coreia do Norte”, disse o secretário do Tesouro americano, Steven Mnuchin, em comunicado.

O Tesouro americano também impôs sanções contra Ri Jong Won, vice-representante do FTB em Moscou. Segundo ele, os dois representantes do banco norte-coreano deveriam ser expulsos da Rússia, de acordo com o que foi estipulado por resoluções da ONU que têm como objetivo pressionar Pyongyang por seu programa nuclear.

O governo americano também solicitou ao Conselho de Segurança da ONU que inclua o Agrosoyuz Commercial Bank em sua lista de sanções.

Para que as sanções sejam aprovadas pela ONU, é preciso receber o sinal verde de um Comitê do Conselho de Segurança no qual participam os 15 Estados-membros, incluindo a Rússia, que tem um assento permanente.

(Com EFE e Reuters)




Deixe seu comentário



expediente|circulação|quem somos|fale conosco|política de privacidade





© 2017 News Oeste - Todos os Direitos Reservados ®