Bombardeios em Ghuta Oriental, na Síria, deixam 57 civis mortos
Segundo o Observatório Sírio de Direitos Humanos, aviões russos utilizaram bombas proibidas
A ONG destacou que alguns corpos estavam completamente calcinados

16 de Março de 2018 - 15h15
Pelo menos 57 civis morreram nesta sexta-feira por bombardeios de aviões russos contra as populações de Kafr Batna e Saqba, na região de Ghuta Oriental, na Síria, o principal reduto opositor nos arredores de Damasco e alvo de uma ofensiva do Exército sírio e de seus aliados.

O Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH) precisou que 46 dessas vítimas mortais, entre elas nove menores, perderam a vida em Kafr Batna, enquanto o resto morreu em Saqba. Ambas localidades estão sob controle da facção islamita Legião da Misericórdia.

A ONG destacou que alguns corpos estavam completamente calcinados, enquanto outros apresentavam queimaduras em algumas partes.

Segundo o observatório, aviões russos utilizaram bombas de cacho, proibidas internacionalmente. Esses projéteis estão carregados com uma substância composta por pó de alumínio e óxido de ferro, que causa queimaduras porque sua combustão dura três minutos após ser lançada.

Essa classe de bomba, contém entre 50 e 110 projéteis, segundo o Observatório, que lembrou que a Rússia empregou munição de cacho nos seus bombardeios das últimas semanas.



expediente|quem somos|fale conosco|política de privacidade





© 2017 News Oeste - Todos os Direitos Reservados ®